The Lobster



O filme fala de um futuro onde existe uma lei proíbe que as pessoas fiquem solteiras.
Qualquer homem ou mulher que não estiver em um relacionamento é imediatamente preso e enviado para O Hotel, um lugar onde terá 45 dias para encontrar um parceiro. Caso não encontrem ninguém, essas pessoas são transformadas no animal de sua preferência e soltas no meio da floresta.

Nesse futuro bizarro conhecemos David (Colin Farrell), que ao ficar viúvo é levado para O Hotel, e, em sua entrevista inicial, ele manifesta vontade de ser transformado em uma Lagosta (Lobster) caso não encontre uma parceira ideal no prazo predeterminado. Através de seus olhos podemos conhecer os lados dessa sociedade nada convencional e acompanhá-lo por uma floresta onde vivem os solitários. Nessa floresta ele encontra a parceira de sua vida, porém, na Floresta, nada é tão simples como parece, e levar um relacionamento adiante pode ser bastante trabalhoso e complicado.

O diretor grego Yorgos Lanthimos se utiliza desse futuro surreal para analisar friamente os relacionamentos humanos de forma diferenciada, inteligente, sarcástica e bem-humorada. Uma relação saudável e amorosa construída friamente sobre as similaridades, defeitos e desejos dos personagens.

Do início ao fim, nos prendemos por toda a estranheza da trama e pelos personagens cuidadosamente construídos e nada convencionais.
Imperdível!


Direção: Yorgos Lanthimos
Elenco: Colin Farrell - David; Rachel Weisz - mulher míope; Jessica Barden - mulher com hemorragia nasal; Ben Whishaw - homem manco; Olivia Colman - gestora do hotel; Ariane Labed - camareira; Angeliki Papoulia - mulher sem coração; Léa Seydoux - líder solitária.





Tanna



A ilha de Tanna, no Vanuatu, Pacífico Sul, possui 40 km de comprimento e 19 km de largura, com área total de 550 km². Na costa sudoeste, encontramos o vulcão Yasur. Algumas das aldeias são conhecidas como kastom (do inglês custom, costume), onde estão proibidas as invenções modernas, os homens usam kotekas (bainhas para o pênis, chamadas nambas na língua bislama) e camisas de ervas.

É nesse belo cenário, com matas nativas, um exuberante vulcão, prais de águas cristalinas e fina areia branca que Martin Butler e Bentley Dean gravaram esse filme Australiano em 2015. Uma história de amor, fato que aconteceu em 1987, foi que deu origem ao roteiro, escrito junto com os nativos.

O filme retrata os costumes das tribos e uma bela história de amor. A jovem Wawa se apaixona por Dain, mas é oferecida em noivado em uma oferta de paz a outra tribo. Apaixonados e desesperados, os jovens decidem fugir e tentar a vida na paradisíaca Tanna, mesmo sabendo que esse fato poderia levar a uma guerra entre as tribos.

Direção: Martin Butler e Bentley Dean
Elenco: Mungau Dain, Marie Wawa, Marceline Rofit, Chief Charlie Kahla, Albi Nangia.

Manchester by the Sea


Em Manchester by the Sea, conhecemos Lee Chandler, um triste e solitário servente de Boston que vê sua vida transformada ao ter de regressar a sua cidade natal, uma vila de pescadores de Massachusetts, após a morte de seu irmão.

Durante o transcorrer do filme, através de cenas mostrando lembranças do passado do personagem, descobrimos o motivo de tanta tristeza, o porque de não desejar a viver naquela vila e preocupação a respeito da obrigatoriedade de cuidar de seu sobrinho adolescente.


Um filme imprevisível, tenso, e ao mesmo tempo, com uma certa leveza no tratar de um tema tão delicado quanto a morte, muitas vezes trágica e dolorosa. No entanto, não deixando de mostrar a culpa e a dor que uma pessoa tem de aprender a carregar em seu dia a dia em decorrência de seus atos.

Não deixe de assistir. Fascinante!


Direção: Kenneth Lonergan
Elenco: Casey Affleck, Michelle Williams, Kyle Chandler, Lucas Hedges, C.J. Wilson, Gretchen Mol




Elle


Elle”, uma adaptação do livro "Oh..." de Philippe Djian, é um Thriller psicológico bem-humorado, com temas polêmicos e complexos, onde conhecemos Michèle (Isabelle Huppert), uma executiva-chefe de uma empresa de videogames que administra, é estuprada em sua casa por um mascarado logo na cena inicial. Ao invés de se sentir e agir como vítima, ela se levanta, limpa a si e a casa, e segue como se nada tivesse acontecido, mas no fundo, não deixa de buscar a verdadeira identidade de seu estuprador.

O estupro é apenas uma de muitas que Michèle tem em seu passado. Ela enfrenta seus demônios dia a dia, se transformando em uma pessoa dura, organizada, seguindo rotinas, de certa forma para não se perder. Seu relacionamento com o filho, com a mãe, com o chefe e colegas de trabalho, seu triste passado com o pai, e a sua própria sexualidade.

Uma mulher de meia idade, elegante, bem sucedida em sua profissão, dominadora, independente financeiramente e, aparentemente, psicologicamente.

A cada nova situação a personagem vai revelando a sua real identidade, deixando cair suas máscaras, até demonstrar ser um ser humano, que, por detrás de toda a frieza aparente, chega a sentir medo e pedir ajuda.

Um verdadeiro convite a uma visita a uma mente de uma mulher, aparentemente normal, mas repleta de dúvidas, anseios, medos, conflitos em suas relações interpessoais. Uma mente perturbada pelo passado, em uma luta constante, tendo de enfrentar velhos e novos “monstros/sombras”.

Um desafio para a personagem e telespectador.
Não deixe de assistir!

Direção: Paul Verhoeven
Roteiro: David Birke (baseado na obra de Philippe Djian)
Elenco: Isabelle Huppert, Laurent Lafitte, Anne Consigny, Charles Berling, Virginie Efira, Judith Magre, Christian Berkel, Jonas Bloquet, Alice Isaaz, Vimala Pons, Raphaël Lenglet, Arthur Mazet, Lucas Prisor, Hugo Conzelmann, Stéphane Bak




Hell or High Water – A Qualquer Custo



“A pobreza é como uma doença. Passa de geração em geração.” 
(Frase dita pelo personagem Toby)

Interior do Texas. Há 150 anos uma rede de bancos tomaram as terras dos índios e exploram os moradores de baixa renda no local, tudo dentro da lei.

Dois irmãos, Tanner, um ex-presidiário, e Toby, um pai divorciado com diversas dificuldades para manter o sustento de seus dois filhos, se veem pressionados pelo termino do prazo do pagamento da hipoteca das terras de sua mãe. A rede de banco local estava, além de ter feito um empréstimo para a hipoteca, uma quantia mínima para garantir que ela permaneceria pobre e nunca conseguiria pagar o devido ao Banco, ainda estava pagando o imposto da propriedade desde 2012. Uma garantia de que ficariam com o Rancho.

Para conseguirem a quantia necessária para conservar a propriedade, resolvem assaltar as várias sucursais do banco que os ameaça com a penhora, e na medida do possível, civilizadamente. Uma das características que notamos nos irmão é que, mesmo estando fora da lei, fazem o possível para não prejudicar mais as pessoas do local. A única coisa que desejam é pagar o devido com o dinheiro do próprio Banco que estava levando a família à ruína.

No início vão muito bem, conseguem legalizar o dinheiro através de jogos de Cassino e, até a ajuda de um funcionário do banco que os aconselham. Sua justificativa – não tolerava mais tanta arrogância, e ver os dois irmãos pagarem a dívida com o próprio dinheiro dos banqueiros... julgou mais como um ato de heroísmo e civilidade, e não como um delito.

Ma encontram pelo caminho Marcus Hamilton, inteligente e experiente, e ao mesmo tempo, cansado e mal-humorado ranger do Texas prestes a se aposentar. Com sua capacidade de observação ele traça o perfil e as motivações dos dois assaltantes, antecipando os seus golpes e perseguindo-os por todo o território norte-americano, aguardando pacientemente que cometam um erro para poder prendê-los.

O que poucos sabiam é que haviam achado petróleo no Rancho, e quem ficasse com o terreno, se tornaria abastado por toda vida.

Em meio à trama, notamos uma sutil análise sobre o estágio atual daquela localidade, meio perdida no tempo e, de certa forma, empobrecida. Um local bem diferente das grandes metrópoles americanas, além da brutalidade daquela sociedade mostrada em diversos diálogos preconceituosos.

Um Filme com relevância política e social, com paisagens do deserto do Texas e ainda uma bela trilha sonora composta por Nick Cave e Warren Ellis, com um final que é uma mistura de surpresa e demonstração de amor incondicional.
Fantástico!



Elenco: Chris Pine, Ben Foster, Jeff Bridges, Gil Birmingham, Dale Dickey, Buck Taylor, Marin Ireland, Katy Mixon, Kevin Rankin, Melanie Papalia, Dylan Kenin, Gregory Norman Cruz
Direção: David Mackenzie
Roteiro: Taylor Sheridan
                                               
Chris Pine, Ben Foster, Jeff Bridges, Gil Birmingham                    
                       
                      
                                



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...