Solidões - Oswaldo Montenegro

Drama de Oswaldo Montenegro com histórias que se cruzam e com uma maravilhosa trilha sonora, onde ele explora o tema solidão em diversos personagens. Como a solidão pode se apresentar de formas diversas de acordo com a realidade de cada pessoa. Histórias de pessoas que se sentem solitárias mesmo quando estão rodeadas de pessoas.

Um homem que encontra com seu próprio eu.
Uma jovem sofre de amnésia depois de um ataque de raiva e que se recusa a ter qualquer contato com outro ser humano.
Um garçom colecionador de frases.
Uma mulher que se embriaga ao esperar o namorado que nunca chega.
Um cantor sertanejo que não obtém sucesso na cidade grande.
Um exercício de metalinguagem de uma diretora de elenco.
Um Demônio errante com saudades de Deus
Um palhaço.

“Ninguém é sozinho como o palhaço”
“A solidão é o velho esperando a família para o Natal”
“Não se sabe quantos fazem isso por opção”
“ Ficar sozinha aqui dentro, sem dor”
“Ali, pela ausência de esquinas e ruas estreitas, não há encontros relatados”
“ Ficaram de me telefonar mas nem pegaram meu telefone”
“ Eu tenho muito orgulho de minha profissão. Na verdade eu sou uma atendente de solidários. Faço meu trabalho com fervor de uma atriz e com a convicção de uma religiosa” - Fala de uma prostituta.

Um filme artístico, onde cenas de cores fortes e vibrantes realçam o conflito dos personagens; onde cenas em preto e branco o conflito é inexistente; e a lenta transição do preto e branco para um colorido vibrante realça a transformação desse sentimento.

Solidão… Um sentimento no qual a pessoa sente uma profunda sensação de vazio e isolamento, um sentimento de querer uma companhia, querer realizar alguma atividade com outra pessoa, consciente ou inconscientemente se isola, por que os seus sentimentos precisam de algo novo que as transforme.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...